Viagem para Machu Picchu, Peru: Custos, Roteiro, Como ir, Ingresso

Descubra todas as informações para planejar sua viagem para Machu Picchu, a Cidade Sagrado dos Incas!

Machu Picchu é o sonho de viagem de pessoas do mundo todo. Realmente, o sítio arqueológico de Machu Picchu é um lugar belíssimo, com uma paisagem exuberante e uma história fascinante.

Mostrado ao mundo em 1911 pelo arqueólogo americano Hiram Bingham, Machu Picchu faz com que milhões de visitantes peguem o trem de Cusco até Águas Calientes todos os dias.

A demanda é fortíssima para visitar esse Patrimônio da Humanidade e, por isso, uma viagem para Machu Picchu não é barata e exige bastante planejamento. Mas vale muito a pena, porque Machu Picchu é um dos sítios históricos mais bem preservados do Império Inca.

Neste post, mostramos todas as etapas para planejar a viagem para Machu Picchu, com informações atualizadas que tirarão muitas de suas dúvidas. Confira!

 

Etapas do planejamento da viagem para Machu Picchu

Viagem para Machu Picchu

Muitas vistas de tirar o fôlego, principalmente a partir dos terraços

  • Definir o mês da viagem;
  • Planejar, comprar ou reservar os voos, hotéis e atividades nas cidades anteriores a visita a Machu Picchu, normalmente Lima e Cusco;
  • Definir o dia (ou dias) em Águas Calientes; dia e período do dia em Machu Picchu, assim como o tipo de ingresso;
  • Comprar o trem para Águas Calientes;
  • Reservar a hospedagem em Águas Calientes (se for o seu caso);
  • Finalizar os detalhes da viagem e fazer um checklist.

 

Melhor época do ano para viajar para Machu Picchu

Viagem para Machu Picchu

É comum existirem nuvens na região, mesmo nos dias de sol

No Peru, há muita variação climática durante o ano. Os Andes são ainda mais imprevisíveis, devido às montanhas. Entender como o clima se comporta pode evitar muitos problemas.

Como Machu Picchu está a mais de 2400 metros de altitude, o clima é ameno na cidade histórica e mais quente em Águas Calientes (cidade dormitório para conhecer Machu Picchu, localizada no sopé da montanha).

O que você deve levar em consideração são as estações de chuva e de seca. Sem dúvida, durante a estação de chuva pode haver problemas por causa da quantidade de água, neblina e condições ruim para visitar Machu Picchu.

A estação de chuva ocorre entre novembro e março, sendo os meses de dezembro, janeiro e fevereiro os mais chuvosos e vale a pena evita-los.

A maioria dos turistas opta por visitar Machu Picchu na estação seca (de abril até outubro), principalmente nos meses de junho, julho e agosto. Apesar de junho, julho e agosto serem os melhores meses fazer o passeio a Machu Picchu, os preços das hospedagens aumentam nesse período, assim como a quantidade de visitantes.

Se você procura menos lotação, clima bom e preços não tão altos, planeje sua viagem para Machu Picchu nos meses de abril, maio, setembro ou outubro. Acredito que maio e setembro são os melhores meses do ano para ir a Machu Picchu.

Nós visitamos o Peru na primeira quinzena de outubro e não pegamos dias de chuva em Cusco e Machu Picchu, mas na semana anterior choveu.

 

Tipos de ingresso para Machu Picchu e como comprar

Viagem para Machu Picchu

Depois de decidir o mês da sua viagem ao Peru e as cidades que você visitará no país, já dá para estabelecer o dia da visita à Cidade Sagrada. Para isso, é bom entender quais são os tipos de ingresso para Machu Picchu.

A partir de 1º de julho 2017, as regras de visitação a Machu Picchu mudaram, sendo os ingressos vendidos para períodos específicos do dia. Assim, há diferentes estratégias para visitar Machu Picchu de acordo com o tipo de ingresso.

Para quem vai visitar apenas a Cidade Sagrada de Machu Picchu, há três tipos de ingressos:

  • Primeiro turno: das 6h às 12h (152 soles);
  • Segundo turno: das 12h às 17h30m (152 soles) e;
  • Horário Vespertino: a partir das 13h (100 soles).

 

O primeiro e o segundo turnos têm mais de 3 mil ingressos disponíveis por dia. Já o terceiro turno tem capacidade máxima de mil visitantes por dia.

O primeiro turno é o mais procurado, sempre lotado de visitantes mesmo de manhã cedinho, e o horário vespertino é o menos procurado e o menos lotado.

Há também os ingressos que incluem a subida às montanhas de Machu Picchu: Montaña ou Montanha Machu Picchu (das 7h às 8h ou das 9h às 10h, com custo de 200 soles); e Waynapicchu ou Huayna Picchu (das 7h às 8h ou das 10h às 11h, com custo de 200 soles). Nesses ingressos, já está inclusa a entrada a Machu Picchu.

Esses horários podem mudar durante o ano, por isso sempre faça pesquisas no site oficial do governo peruano (confira aqui). Existe um site chamado “ingresso Machu Picchu”, mas ele não é o oficial, então, evite-o.

A compra dos ingressos para Machu Picchu pode ser feita online, por meio do site oficial, assim como nos escritórios oficiais em Cusco e Águas Calientes. Não são vendidos ingressos na entrada de Machu Picchu.

Não é necessário comprar os ingressos com muita antecedência, ainda mais para quem não viaja na alta temporada. De qualquer forma, o site oficial mostra a disponibilidade dos ingressos para a data selecionada.

Os ingressos que costumam acabar mais rápido são para subir Huayna Picchu, que pode receber até 400 visitantes por dia. Na alta temporada, vale antecipar a compra do ingresso para subir essa montanha.

Nós não subimos Huayna Picchu, mas preferimos comprar os ingressos para Machu Picchu com um mês de antecedência, só para garantir. Acho que vale a pena ter esse cuidado extra!

Quando chegar o grande dia de visitar Machu Picchu, tenha os tickets impressos e seu passaporte em mãos.

Viagem para Machu Picchu

Agora que você já sabe quais tipos de ingressos existem para visitar Machu Picchu, é preciso escolher qual deles comprar.

A maioria dos viajantes prefere o ingresso do primeiro turno, para poder ver o nascer do sol na Cidade Sagrada. Apesar de oficialmente não ser permitida a reentrada, quem visita pela manhã consegue sair e voltar até às 12h.

A reentrada sempre foi algo comum em Machu Picchu, porque não há banheiros dentro da Cidade Sagrada, apenas na parte de fora, junto à entrada. Porém, pelas novas regras, teoricamente, a reentrada não está permitida, mas ainda não estão aplicando essa regra.

Nós compramos o ingresso para o “Horário Vespertino”, ou seja, só podíamos entrar em Machu Picchu a partir das 13h, tendo aproximadamente 4-5 horas disponíveis no sítio arqueológico. Durante a tarde, o sol deixa Machu Picchu incrível e há menos visitantes, como toda a certeza!

Normalmente, não é preciso ficar mais do que 4 horas em Machu Picchu, a não ser que você suba alguma montanha, mas o ingresso para as montanhas já conta com tempo extra.

Pelas novas regras, todos os visitantes deveriam entrar com guias credenciados. Quando visitamos, essa regra ainda não estava em prática. Mesmo assim, é fácil encontrar um guia credenciado na entrada do parque.

A visita guiada é uma boa oportunidade para entender mais sobre Machu Picchu, mas nós participamos de nenhuma. O custo do guia privado sai por 130-150 soles. Quando a visita guiada é em grupo, espere pagar em torno de 30 soles por pessoa.

Algo que você deve saber é que apesar de ainda não obrigarem a entrar com guias, há um sentido definido para a visita. Na parte alta da cidade, onde ficam os terraços, só se pode ir para frente e não se pode voltar. Se quiser voltar, você terá que sair do parque e entrar novamente, algo que só acontece pela manhã, por enquanto.

Por que não compramos o ingresso para o primeiro turno?

  • Muita muvuca para pegar o micro-ônibus para subir até Machu Picchu pela manhã;
  • Lotação muito grande até às 12h;
  • Maior possibilidade de neblina;
  • Ingresso mais caro;
  • Hospedagem em Águas Calientes.

 

Não queríamos perder metade de um dia para dormir em Águas Calientes, afinal, quem compra o ingresso para o primeiro turno tem que dormir em Águas Calientes na noite anterior a visita a Machu Picchu.

Já os ingressos do segundo turno e horário vespertino podem ser comprados por quem vem de Cusco ou Ollantaytambo no mesmo dia. Vamos falar mais sobre os tipos de roteiros no decorrer do post.

 

Como ir para Machu Picchu

Viagem para Machu Picchu

Vista do Rio Urubamba durante a viagem de trem para Machu Picchu

Com o tipo de ingresso já em mente, é hora de saber como ir para Machu Picchu. Há duas formas de chegar a Machu Picchu: trilhas ou transporte público. A única trilha que leva diretamente à Cidade Sagrada é a Trilha Inca.

A maioria dos viajantes, que não são viajantes de aventura, chega de trem a Machu Picchu, tendo como destino a cidade de Águas Calientes (chamada também de Machu Picchu Pueblo), que é a porta de entrada para fazer o passeio.

Confira abaixo algumas das mais famosas trilhas pela região do Vale do Rio Urubamba.

Viagem para Machu Picchu

Mapa com algumas trilhas no Vale do Rio Urubamba. Fonte: Kimkim

  • Trilha Inca: é a trilha mais conhecida e procurada, porque os viajantes realmente terminam o trajeto em Machu Picchu. A trilha leva cerca de 4 dias! Em fevereiro, a Trilha Inca fica fechada devido às chuvas. Só 500 pessoas por dia podem fazer essa trilha;
  • Trilha Salcantay: é considerada uma trilha difícil, que pode levar até uma semana;
  • Trilha Vilcabamba: é uma das trilhas mais difíceis, passando pelo sítio arqueológico de Coquequirao;
  • Trilha pela hidrelétrica: há uma trilha de 3h que possibilita chegar a Águas Calientes sem usar o trem. Para isso, deve-se ir de táxi ou minivan até Santa Tereza e de lá até a hidrelétrica, seguindo a pé até a Águas Calientes.

 

Os viajantes que não vão fazer trilhas obrigatoriamente utilizam o trem para Machu Picchu Pueblo (Águas Calientes). Há duas empresas de trem: Peru Rail e Inca Rail.

A Peru Rail é a operadora ferroviária mais procurada por quem tem o orçamento flexível, pois suas tarifas são mais caras do que as da Inca Rail, além de possuir vagões com serviços bastante luxuosos.

Nós usamos a Inca Rail, porque é mais barata, e pagamos cerca US$ 60 por pessoa por trajeto da estação de trem de Ollantaytambo até a estação de Águas Calientes, uma viagem que leva cerca de 1h30min.

Da cidade de Cusco não saem trens para Águas Calientes, a estação mais próxima fica em Poroy, a 12 quilômetros de Cusco. O trajeto de trem de Poroy a Machu Picchu Pueblo (Águas Calientes) custa pelo menos US$ 85 por pessoa por trajeto.

A tarifa cara saindo de Poroy é a razão pela qual os viajantes vão até Ollantaytambo de táxi ou minivan e de lá pegam o trem para Águas Calientes. A partir de Ollantaytambo a oferta de horários de trem é grande e, portanto, mais fácil de encontrar uma promoção.

Inclusive muitos viajantes aproveitam a parada do tour “Vale Sagrado” para ficar em Ollantaytambo e pegar o trem, pernoitando em Águas Calientes. Essa estratégia é bastante utilizada, mas se perde metade de um dia e também a visita ao sítio arqueológico de Ollantaytambo.

Nós optamos por sair de Cusco bem cedo, aproximadamente 6h30min, e ir de minivan até Ollantaytambo. Basta se dirigir a Calle Pavitos em Cusco, onde estão os taxistas e os motoristas das vans.

A viagem de minivan custa apenas 10 soles por pessoa por trajeto. A viagem demora aproximadamente 2h30min. Quem optar por usar os táxis, pode pedir desconto, porque há muitos taxistas oferecendo serviços na Calle Pavitos.

Nosso trem saía às 11h15min, então, tivemos tempo suficiente de tomar café da manhã em Ollantaytambo. Como raramente o trem atrasa, chegamos pontualmente às 13h em Águas Calientes.

Vale destacar que você deve trocar o voucher do trem nas lojas oficiais da Peru Rail ou Inca Rail, em Cusco ou Ollantaytambo. Para isso, é necessário apresentar o cartão de crédito utilizado, além do passaporte.

No nosso caso, não pediram nada, pois estávamos com o voucher impresso, mas vale levar o cartão de crédito e o passaporte por precaução.

Chegando a Águas Calientes, primeiramente procure a saída do mercado de artesanato, que fica colado à estação de trem. Nas proximidades da ponte verde, há o local de compra dos tickets dos micro-ônibus que sobem a montanha até Machu Picchu.

O ticket de ida e volta custa US$ 24 por pessoa. É caro, mas vale a pena, porque a montanha é muito alta e o viajante precisa de energia para conhecer Machu Picchu. Confira o site oficial da empresa que opera o serviço de micro-ônibus.

Quero deixar bem claro que há um caminho por escadas, que leva até a entrada de Machu Picchu, sem precisar usar o micro-ônibus e de graça. Definitivamente, achamos uma péssima ideia tentar usar esse caminho, porque tem 1 quilômetro de extensão em escadas.

Nós descemos essas escadas e foi horrível. Se tivéssemos tentado subir esse caminho, tenho certeza de que eu não conseguiria.

Isso foi o que fizemos para chegar a Machu Picchu, usando apenas 1 dia inteiro, sem se hospedar em Águas Calientes e economizando o máximo, mas sem atrapalhar a experiência na Cidade Sagrada.

Contudo, há outras estratégias ou roteiros de viagem para Machu Picchu.

 

Roteiros de viagem para Machu Picchu

Viagem para Machu Picchu

É a partir dos terraços mostrados na imagem que se tem a vista clássica de Machu Picchu

Para planejar a viagem para Machu Picchu é necessário ter muitas informações. Você tem que decidir quando ir para Águas Calientes, se vai ou não se hospedar por lá, qual tipo de ingresso comprar, horários dos trens e muito mais.

Para tentar esclarecer um pouco as diversas opções de roteiros de viagem para Machu Picchu, mostramos abaixo algumas formas muito utilizadas pelos viajantes:

  • Roteiro 1: a maioria dos viajantes sai do tour pelo Vale Sagrado em Ollantaytambo e pega nessa cidade o trem para Águas Calientes. Dessa forma, pernoita-se em Águas Calientes para visitar Machu Picchu pela manhã (primeiro turno). Essa é a melhor opção para quem vai subir as montanhas no começo da manhã.
  • Roteiro 2: aproveitar até o fim o tour pelo Vale Sagrado e pernoitar em Ollantaytambo, conhecendo o sítio arqueológico de Ollantaytambo e indo pela manhã bem cedo para Águas Calientes. Dessa forma, pode ser visitada a montanha Huayna Picchu no final da manhã e Machu Picchu a tarde (segundo turno).
  • Roteiro 3: sair de Cusco aproximadamente às 6h com destino a Ollantaytambo. Pegar o trem no máximo até às 11h e comprar o ingresso do horário vespertino, com entrada a partir das 13h.

 

Todos esses roteiros tem como final a volta de trem para Ollantaytambo ou Poroy. Vale a pena voltar para Ollantaytambo, porque até o último horário do trem, há táxis e minivans que levam o viajante para Cusco. Então, não é um problema voltar para Cusco de sua viagem para Machu Picchu.

 

Onde ficar em Águas Calientes, Machu Picchu Pueblo

Para quem vai se hospedar em Cusco, nós já temos um post com regiões da cidade para ficar e também com sugestões de hotéis (confira aqui). Mas eu sei que muitos viajantes querem se hospedar em Águas Calientes e conhecer Machu Picchu pela manhã.

Apesar de Águas Calientes ser uma cidade pequena, o turismo é tão forte na região, que há várias hospedagens, desde hostels até hotéis de luxo.

Para estar bem localizado, é só se hospedar nas proximidades da Avenida Império de los Incas ou na Avenida Hermanos Ayar, perto do Rio Urubamba. Nessas avenidas, há muitos hotéis, restaurantes e comércios, que podem fazer barulho, assim como o trem.

Selecionamos hostels, pousadas e hotéis em Águas Calientes com boa relação custo-benefício para diversos orçamentos. Confira mais detalhes abaixo:

  • Ecopackers Machupicchu Hostel: cama em dormitório com diária a partir de US$ 15. O Ecopackers Machupicchu Hostel é uma das hospedagens mais baratas em Machu Picchu, mas é um bom hostel, com boa localização e café da manhã.
  • Samuel’s House: quarto duplo com diária a partir de US$ 40. O Samuel’s House é uma pousada simples em Machu Picchu, mas como boa localização e atendimento atencioso.
  • Andino Hotel: quarto duplo com diária a partir de US$ 60. O Andino Hotel é uma boa opção de hotel tradicional, porém sem luxo. Vale dizer que os quartos mais baratos são pequenos.
  • Panorama B&B: quarto duplo com diária a partir de US$ 90. O Panorama B&B é um dos hotéis com melhor relação custo-benefício em Águas Calientes, porque tem bons quartos, a localização é central, mas longe o suficiente do barulho, e o atendimento é bem elogiado.
  • Tierra Viva Machu Picchu: quarto duplo com diária a partir de US$ 115. O Tierra Viva Machu Picchu também possui boa relação custo-benefício, com quartos grandes e boa localização, além de serviços que facilitam a vida do viajante.

 

Como você pode ter notado, os valores das diárias em Águas Calientes não são baratos, porque a pressão da demanda é muito forte. Mesmo assim, os hotéis mostrados acima têm bons preços para a região, mas há opções bem mais caras em Águas Calientes.

O Inkaterra Machu Picchu Pueblo Hotel é um hotel caro, mas de qualidade. O valor da diária do quarto duplo gira em torno de US$ 550, mas também está incluso o jantar. Já o Belmond Sanctuary Lodge se destaca por estar localizado na montanha onde fica Machu Picchu, mesmo assim, o valor do quarto duplo a partir de US$ 850 é exorbitante.

Reservando a hospedagem da sua viagem para Machu Picchu pelos links no post ou pela caixa de busca no site, você ajuda a manter o Guia do Nômade Digital, porém não paga nenhum centavo a mais na sua hospedagem. Muito obrigada!

 

Quanto custa uma viagem para Machu Picchu

Viagem para Machu Picchu

As belas montanhas ao redor de Machu Picchu

A viagem para Machu Picchu é o passeio mais caro que você fará no Peru. Quando comecei a pesquisar, eu tomei um susto com os valores, principalmente com os valores do trem.

Quanto custa uma viagem para Machu Picchu varia bastante com o perfil do viajante, mais econômico, viaja com a família ou prefere luxo.

O custo mínimo para visitar Machu Picchu é semelhante ao que gastamos em nossa viagem, que ocorreu em um período de queda das visitas e, por isso, um pouquinho mais barato.

A primeira tabela mostra os valores para quem faz a viagem para Machu Picchu a partir de Cusco, pegando o trem em Ollantaytambo, fazendo todo o trajeto Cusco-Machu Picchu-Cusco em apenas 1 dia (e sem parar para almoçar, já que não dá tempo).

TremUS$ 120
Micro-ônibusUS$ 24
Van até Ollantaytambo$ 20/ US$ 6
Hospedagem em CuscoUS$ 45
TotalUS$ 195 / R$ 640

A segunda tabela é uma estimativa dos gastos para os viajantes que se hospedam em Águas Calientes. Os valores dizem respeito aos custos para apenas uma pessoa.

TremUS$ 120
Micro-ônibusUS$ 24
Van até Ollantaytambo$ 20/ US$ 6
Jantar$ 50/ US$ 15
Hospedagem Águas CalientesUS$ 60
TotalUS$ 225 / R$ 740

 

O que levar para Machu Picchu

  • Documentos: passaporte e cartão de crédito (para pegar a passagem de trem). O passaporte é necessário para entrar no sítio arqueológico;
  • Vestimenta: tênis, roupas confortáveis e que exponham o mínimo de pele, casaco contra o vento, chapéu;
  • Comidas e bebidas: teoricamente não são permitidas comidas e bebidas dentro de Machu Picchu, mas se elas estiverem na mochila, não terá problemas;
  • Borrachudos: leve repelente ou esteja completamente coberto. Nós optamos pela segunda opção, mas muitos viajantes que usavam bermudas estavam com as pernas completamente picadas pelos borrachudos. Os bichinhos começaram a aparecer no entardecer. Cuidado com eles!
  • Protetor solar é indispensável no Peru, tanto no frio quanto no calor!

 

Esperamos que as dicas para planejar a viagem para Machu Picchu tenham te ajudado. As informações que trouxemos estão super atualizadas, porque nossa viagem para Machu Picchu ocorreu após julho de 2017, quando as novas regras começaram a entrar em vigor.

Boa Viagem, Viajante!

[P.S: não se esqueça de reservar o seu hotel pelo nosso link do Booking. Você não paga nada a mais pela sua hospedagem e ainda ajuda o site. Obrigado!]

Posts que você deve ver também!

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Receber notificações de
avatar
wpDiscuz
error: Conteúdo protegido.